Cópia de Sem nome (5).png

Blog MecTRIA

  • Kim Sangawa

FMEA: o que é e como fazer

Atualizado: 2 de Out de 2020


Você sabe o que é o FMEA?


Em suma: FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) conhecido também por Análise de Modo e Efeito de Falha é uma técnica usada para identificar riscos, possíveis falhas e, assim, determinar modos de eliminar os mesmos. Esse método é muito visto como uma análise causa-consequência.



Hoje em dia, esse sistema é utilizado em diversas áreas.


Quais? Por exemplo:

  • Sistemas Hidráulicos e Pneumáticos;

  • Circuitos elétricos;

  • Desenvolvimento de reatores termonucleares;

  • Indústrias siderúrgicas;

  • Indústrias automotivas.


A origem do FMEA:


Na verdade, não se sabe ao certo sua data de origem... Existem muitos trabalhos, mas esses não deixam claro se de fato está sendo tratado sobre o FMEA.


De qualquer forma, acredita-se que a origem dessa técnica seja datada em 1949 nos EUA, servindo de padrão para operações militares (Procedures for Performing a Failure Mode, Effects and Criticality Analysis - Military Procedure MIL-P-1629).


Desde então, não demorou muito para o processo ser aprimorado e conquistar espaço no mercado. Logo após a sua criação, a NASA já havia implementado essa metodologia. Posteriormente, foi a vez do mercado automobilístico e nos anos 70, já havia dominado praticamento todo o setor.


O principal objetivo do FMEA:


O objetivo desse sistema é bem simples: encontrar possíveis pontos de falha, como os detectar e como os combater.



Você deve estar se perguntando: "Como identificar essas falhas? "Como é estruturado e aplicado esse tal FMEA?"



Para identificar!!


Primeiramente, verifica-se todas os possíveis pontos de falha através de uma análise. Em seguida, imagina-se todos os efeitos que se teria, caso acontecesse o inoportuno. Por último, leva-se em conta como e onde esse erro poderia ser detectado.


Baseando nessa análise, é realizado o cálculo do RPN.


Cálculo do RPN:


O RPN (Risk Priority Number), ou também chamado de NPR (Número de prioridade de risco), é o índice numérico que se usa para calcular a gravidade que o erro apresenta para o processo. Portanto, estima-se uma pontuação base de acordo com a severidade e probabilidade da falha acontecer.


Calcula-se da seguinte maneira:


Para cada falha é mensurado,

  • Ocorrência: probabilidade de ocorrer (1- 10, sendo 1 zero e 10 sempre);

  • Gravidade: probabilidade de causar danos (1-10, sendo 1 zero e 10 sempre);

  • Detecção: probabilidade do erro ser detectado (1-10, sendo 1 sempre e 10 nunca).


Após a definição de cada pontuação dos itens acima a respeito de uma falha, deve-se multiplicar cada pontuação entre si para chegarmos ao NPR da mesma.



VALE A ATENÇÃO:

A escala de detecção é diferente das duas anteriores. Verifica-se que quanto mais difícil for de captar, maior a pontuação!!


Fonte: http://lienminhnhatrang.com


Como fazer um FMEA:


Aconselha-se separar sua criação em etapas para o desenvolvimento de um bom FMEA, sendo elas:

  • Definir um processo para ser analisado;

  • Definir uma equipe para analisar o processo;

  • Identificar pontos de falha;

  • Identifique causas secundárias para cada ponto de falha;

  • Defina as consequências para cada falha;

  • Verifique quais as chances de detecção de cada falha;

  • Defina o NPR de cada potencial falha;

  • Priorize a resolução de cada uma de acordo com o valor do NPR (quanto maior o número, maior a prioridade);

  • Organize equipes para a resolução dos problemas.


Segue um exemplo de carta FMEA:


Fonte: https://www.citisystems.com.br



Veja também outros artigos e conheça ainda mais o segmento de otimização:


5W2H: o que é e como utilizar

Como evitar desperdícios



Se interessou e quer ajuda profissional? Conheça nosso serviços de otimização de produção.


Se preferir, fale conosco sem compromisso.




Autor: Kim Sangawa Peçanha de Paula.


Esse artigo teve como referência: As técnicas de Análise dos Modos de Falhas e seus Efeitos e Análise da Árvore de Falhas no desenvolvimento e na avaliação de produtos .

(Sakurada, Eduardo Yuji).


0 comentário
Posts Recentes